O relatório apresentado pelo deputado estadual Thiago Auricchio (PL) foi aprovado, nesta quarta-feira (6), na CPI da Fundação para o Remédio Popular – FURP, maior fábrica pública de medicamentos da América Latina, ligada ao Governo do Estado de São Paulo. O documento pede a rescisão da parceria público-privada firmada em 2013 entre a CPM (Concessionária Paulista de Medicamentos) e a FURP para a gestão da fábrica de Américo Brasiliense, a ampliação das investigações de possíveis irregularidades e a apresentação de um plano de recuperação da entidade. O Deputado Thiago Auricchio apresentou um relatório separado, que indica uma série de encaminhamentos ao Ministério Público, e que foi aprovado por 6 a 1.

“É extremamente importante que as investigações tenham sequência para que possamos defender o interesse do Estado. Ficou evidenciado que era um contrato lesivo. Agora, precisamos recuperar os investimentos perdidos e garantir a funcionalidade da FURP”, explica o parlamentar.

A CPI foi instalada no início do ano com o objetivo de investigar denúncias de fraudes no contrato assinado com a CPM, que previa investimentos de R$ 130 milhões por parte da empresa nos cinco primeiros dos 15 anos da vigência, além da produção de 96 medicamentos, ações que não foram realizadas, como demonstrou a Comissão. Os deputados visitaram as unidades da FURP, em Guarulhos e Américo Brasiliense, e colheram diversos depoimentos de funcionários, ex-funcionários e representantes do Governo de São Paulo.

“Buscamos unidade e consenso entre os parlamentares, por entendermos a importância da FURP nas políticas públicas desenvolvidas pelo Estado. Não há dúvidas de que, como órgão legislador de São Paulo, fizemos nossa parte, priorizando o combate à corrupção e a defesa da saúde da população”, conclui Thiago Auricchio.

Advogado por formação, Thiago Auricchio foi eleito para o seu primeiro mandato em 2018, quando recebeu 73.435 votos em mais de 400 cidades do estado.