Crescente engajamento da população movimenta empresários das áreas gastronômica e hoteleira; conheça medidas simples relacionadas ao tema.

O impacto ambiental resultante das ações comerciais e industriais está impulsionando o consumo consciente entre os brasileiros. O hábito, que prioriza a mínima consequência ao planeta por meio de práticas mais sustentáveis e menos consumistas, ganhou novos adeptos nos últimos anos e deve seguir em crescimento na próxima década.

Esse cenário é exemplificado na 4ª edição do Panorama do Consumo Consciente, pesquisa desenvolvida pelo Instituto Akatu. O levantamento de 2018 mostra que 24% dos brasileiros já são engajados com hábitos sustentáveis, e outros 38% começaram a se preocupar ou praticar alguma ação do tipo. Esse número é 6% maior do que o registrado na análise de 2012 e comprova que a indiferença ao tema está caindo gradativamente.

Os dados também reforçam o fato de que os consumidores, cada vez mais, levam em conta práticas sustentáveis e ambientais antes de adquirir um produto ou fechar um serviço, inclusive nas áreas de gastronomia e hotelaria. Para atender essa demanda, estabelecimentos desses segmentos estão adotando políticas conscientes para atrair a parcela engajada do público, como indica Tiago Brugnerotto, professor responsável pela coordenação da graduação Tecnologia em Gastronomia do Centro Universitário Senac – Águas de São Pedro.

Essa tendência já é notada em cidades mais globais, como São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador. Nessas capitais e em grandes centros turísticos, existem selos que comprovam a adoção de medidas sustentáveis por restaurantes e lanchonetes. Para o professor, mesmo com o número crescente de consumidores preocupados com as questões ambientais, muitos empresários ainda não conseguem ajustar seus negócios a essa exigência.

“Apesar de algumas iniciativas requisitarem certo investimento, outras simples atitudes já podem fazer a diferença, trazer benefícios e conquistar os consumidores”. Entre as propostas de destaque citadas por Tiago, estão: descarte correto de resíduos; separação adequada do lixo; reaproveitamento de água da chuva; gestão da energia elétrica; investimentos em iluminação e ventilação natural; aproveitamento integral de alimentos/ingredientes/produtos; controle adequado de estoque; e equipe de trabalho consciente e engajada.

Para Márcia Akemi, professora responsável pela coordenação da graduação Tecnologia em Hotelaria do Centro Universitário Senac – Águas de São Pedro, essas práticas de sustentabilidade podem ser adotadas tanto em restaurantes quanto em hotéis, pousadas, resorts e hostels. “As grandes redes, normalmente, já investem em políticas do tipo, até pelo grau de mercado que já possuem. Mas as alternativas são válidas para todos”, destaca.

Ensino consciente

A crescente conscientização dos consumidores também precisa ser levada em conta pelos futuros profissionais do mercado gastronômico e hoteleiro. Atento a isso, o Centro Universitário Senac trabalha temas relacionados à sustentabilidade e ao comportamento do público nas grades curriculares das graduações Tecnologia em Gastronomia e Tecnologia em Hotelaria.

“Sempre propomos reflexões sobre assuntos contemporâneos, como globalização, responsabilidade socioambiental, desigualdades, diversidade, influências socioculturais e mudanças no mundo do trabalho, para que os alunos se desafiem a encontrar soluções para esses desafios e se preparem para enfrentar as mais diversas situações profissionais”, pontua Márcia.

 

Serviço:

Centro Universitário Senac – Águas de São Pedro

Endereço: Pq. Dr. Octávio de Moura Andrade, s/n – Centro, Águas de São Pedro – SP

Informações: www.sp.senac.br/universitarioaguas